Você sabia que pode consultar o seu FGTS com o CPF?

O FGTS significa Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e é um benefício e direito de todo o trabalhador que atua no mercado de trabalho com a carteira assinada. O FGTS é uma garantia que o trabalhador possui em caso de demissão sem justa causa, garantia a uma indenização. Se você quer saber como consultar o saldo do seu FGTS pelo CPF, leia nosso artigo.

Primeiramente, você precisa saber que os depósitos no FGTS feitas pelo empregador não são descontados na sua folha de pagamento. Esses valores correspondem a 8% do salário do trabalhador e é obrigatório para que o empregador o faça todo mês em uma conta aberta em nome do próprio trabalhador na Caixa Econômica Federal.

O FGTS só pode ser sacado se o trabalhador for demitido sem justa causa. Em outras situações o trabalhador não pode retirar esse dinheiro, que fica guardado na sua conta e só poderá ser usado na aposentadoria do trabalhador.

Se você tem dúvidas como consultar o saldo do seu FGTS pelo CPF saiba que é um processo bastante simples. Você apenas precisa ligar para a central de atendimento da Caixa Econômica Federal através do número 0800 726 0207 e seguir todas as instruções concedidas na chamada. Depois você precisa informar o número do seu CPF e logo depois, você vai receber as informações a respeito do seu Fundo de Garantia.

Além do Fundo de Garantia, no portal do trabalhador no site da Caixa, você vai obter outras informações sobre diversos assuntos sociais, como por exemplo, Bolsa FamíliaSeguro DesempregoPIS e o FGTS.

Se você tem dúvidas a respeito do cadastro virtual, mas precisa fazer a consulta do saldo e extrato do seu Fundo de Garantia, você pode consultar também de forma presencial. Você precisa comparecer a qualquer agência da Caixa Econômica Federal com o seu cartão cidadão, que é o mesmo cartão que foi emitido pela Caixa. Você pode fazer essa consulta do FGTS e outros assuntos direto pelo caixa eletrônica ou com uma atendente da Caixa.

Em caso de dúvidas, ligue gratuitamente para o número 0800 726 0101, que é a central de atendimento da Caixa. Aliás, essa central é um portal exclusivo de atendimento ao cliente e, por isso, entre em contato e esclareça o mais rápido possível suas dúvidas a respeito do FGTS e as consultas com CPF do seu FGTS.

Vale lembrar que você pode consultar o seu saldo tanto com a senha cadastrada via internet ou com a senha cidadão também.

Como os motociclistas andarão com segurança entre os automóveis autônomos?

Observei uma BMW R1200GS em uma pequena área de estacionamento circulando suavemente, mudando de direção e circulando novamente com graça e segurança que dariam crédito ao piloto mais experiente. Mas não havia cavaleiro. Momentos antes, eu havia visto essa mesma máquina, montada como uma motocicleta completamente normal pelo engenheiro da BMW Stefan Hans, usando sua embreagem, acelerador, mudança de marcha, freios e direção manual comum.

Vendo isso ou lendo sobre isso, as pessoas chegam à conclusão de que este R1200GS é um protótipo para uma futura motocicleta autônoma. Não! Os planejadores da BMW sabem que a atração básica da motocicleta é que ela coloca o motociclista no controle de um veículo excepcionalmente estimulante e responsivo. O objetivo do R1200GS sem piloto é entender melhor como os pilotos andam e como aumentar a segurança do piloto na próxima era dos carros-robô. Precisa saber a tabela fipe motos? veja nesta página.

Antes deste programa da BMW, achei assustador que tão pouco tenha sido dito sobre automação de tráfego pela indústria de motocicletas ou por suas organizações relacionadas. Eles esperavam que tudo fosse embora se ignorado? É bom saber que esse problema está recebendo a atenção que merece, pois o futuro da motocicleta pode estar em risco.

No modo sem piloto, esta motocicleta estava sendo balanceada e operada por um algoritmo que simula as entradas de controle de pilotos humanos usando sensores e atuadores. A BMW trouxe esta máquina de pesquisa e seus principais engenheiros para Las Vegas, onde foi demonstrado à vista das multidões surgindo na Consumer Electronics Show (CES) deste ano. Enquanto a motocicleta manobrava suavemente, Hans direcionou-a para a direita e para a esquerda com dois botões em um controle do tamanho de um smartphone em uma mão.

Para elaborar estratégias de segurança para os motociclistas, é necessário primeiro entender os movimentos de controle dos cavaleiros humanos e seus efeitos na máquina. Este estoque R1200GS essencialmente carrega três caixas de equipamentos e um conjunto de sensores. Olhando para baixo, onde os guidões emergiam de seus grampos, vi extensômetros epoxied-in-place. Sua finalidade é medir os torques de direção do piloto com alta precisão. A partir desses dados, descobriu-se que torques de até 80 Newton-metros (59 libras-pés) são exercidos por motociclistas, os mais altos torques sendo necessários durante a rápida mudança de direção ou quando se anda muito devagar no asfalto.

Duplicar as sutis e constantes pressões de controle de um motociclista no guidão não foi fácil; O desenvolvimento do motor de direção elétrica desta moto e sua embreagem (montada na parte inferior da cabeça de direção) levou o grupo por um ano. A moto foi usada intensivamente, como mostram os pneus usados. O engenheiro da BMW Felix Deissinger revelou algo do processo de desenvolvimento quando disse: “Eu posso mudar o algoritmo, compilá-lo e em um minuto testá-lo na motocicleta” (um “compilador” traduz as instruções de uma linguagem de programação para o idioma de destino usado para executar as instruções). A máquina realizou várias demonstrações ao longo de dois dias sem falhas.

A maleta do equipamento à direita contém uma Unidade de Medição Inercial (IMU) de alta sensibilidade, cujos dados são combinados com o GPS para definir a posição da máquina em alguns centímetros. Uma câmera voltada para baixo opera como um mouse óptico de computador para detectar a direção e a velocidade do movimento sobre o pavimento. Através da fusão do sensor, isso proporciona um ângulo de deslizamento do pneu. Existem atuadores elétricos exclusivos para embreagem, frenagem e troca de marchas. Uma bateria de 48 volts fornece a potência extra necessária, especialmente para o motor de direção.

Carros Autônomos

A primeira parte do programa, a partir de dezembro de 2013, foi entender como um piloto humano opera uma motocicleta. A partir disso, um algoritmo foi escrito para imitar o que todos aprendemos em nossas primeiras tentativas de andar de bicicleta: para manter um veículo de pista única sob controle, seja ele vertical ou inclinado para trás. Os espectadores muitas vezes perguntaram se esta bicicleta é estabilizada por um giroscópio. Não é. Está estabilizado assim como é por um cavaleiro humano. No caso humano, movimentos e acelerações são detectados pelas unidades de referência inerciais de nossos ouvidos internos. Na motocicleta sem piloto, eles são detectados pela IMU. Em ambos os casos, o equilíbrio é alcançado pela direção.

O resultado dramático é o que vimos em Las Vegas: o algoritmo de pilotagem da BMW não apenas funciona como um piloto humano, mas o faz muito bem. Para lançar a máquina em marcha lenta, Hans eleva-a de seu estoque lateral do lado esquerdo e ordena que ela acelere. Isso acontece. Para dirigir, ele indica apenas que ele quer ir para a esquerda ou para a direita. O algoritmo de equitação mantém o equilíbrio calculando os torques de direção necessários. Quando se deseja parar a máquina, ela freia, estende um cavalete lateral direito e dirige de tal maneira que ela se apóia nela. Por que o cavalete motorizado está à direita? Porque é aí que havia espaço para isso. Lembre-se que isso é apenas uma ferramenta de pesquisa, não algo prestes a entrar na produção.

Na Alemanha, esta máquina também circulou em pistas de corridas, acelerando, mudando de marcha, freando e dirigindo, enquanto um conjunto de sensores mantém a bicicleta em qualquer “pista” desejada da pista. Essas funções superiores não foram demonstradas em Las Vegas por causa do tamanho limitado da área de exibição da BMW.

A Deissinger nos contou que, à medida que mais e mais automação é incorporada aos carros, torna-se necessário definir o lugar da motocicleta neste futuro. Pode até haver uma chamada das autoridades governamentais de trânsito para remover as motocicletas do tráfego automatizado; na Alemanha, 50% das mortes de motocicletas ocorrem em colisões com carros. No entanto, à medida que o aumento do tráfego de automóveis ocupa cada vez mais espaço nas áreas urbanas, a alternativa mais compacta da motocicleta torna-se cada vez mais atraente. Portanto, a remoção de motocicletas do tráfego automatizado não é uma opção. Os carros automatizados podem ser uma ameaça para as motocicletas, porque os motociclistas nem sempre se comportam como os carros, por exemplo, na divisão de faixa.

BMW, Honda e Yamaha se uniram para formar o “ Consórcio de Motocicletas Conectadas ” , que busca aprender como estar conectado com o tráfego circundante por meio de links de dados veículo-veículo pode aumentar a segurança dos motociclistas. Como exemplo, no futuro nocional imaginário, quando um carro em uma faixa intermediária deve se mover para uma pista de saída, seu computador e o tráfego em torno dele se comunicarão para elaborar uma estratégia que abre espaços em faixas adjacentes para tornar isso possível . No momento não se sabe como essa comunicação pode ajudar os motociclistas, mas está sendo estudada por este consórcio.

Ele também não é actualmente conhecida como a integração da motocicleta no tráfego automatizado pode mais seguramente ser alcançado, mas a existência de ferramentas de pesquisa como este BMW R1200GS e de uma organização como o Consórcio da motocicleta Connected-nos que este problema está a ser seriamente tranquilizar estudou.

Bolsa Família no Brasil

No final da década de 1990, o Brasil era notório por seus altos níveis de fome, pobreza e desigualdade, particularmente em suas grandes cidades densamente povoadas. O Programa Bolsa Família (PBF) é um programa do governo introduzido em 2003, que faz transferências monetárias para famílias de baixa renda, desde que, por exemplo, enviem seus filhos à escola e garantam que sejam devidamente vacinados. Essa forma de “investimento em capital humano” foi adotada por administrações da cidade de Nova York às Filipinas.

O desafio

Por muitas décadas, o Brasil tem lutado contra os problemas da desigualdade estrutural e da pobreza, com altos níveis de fome e privação, mais notoriamentefavelas , barracos e favelas das grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro. É visto como um problema transgeracional, com crianças incapazes de adquirir a educação e outros benefícios que lhes permitiriam escapar da pobreza de seus antecedentes em famílias de baixa renda.

A iniciativa

No período até 2003, o governo federal do então Presidente Cardoso introduziu vários programas de transferência condicional de renda (CCT) que abordavam diferentes aspectos da pobreza e da desigualdade. Em outubro daquele ano, o presidente Lula da Silva apresentou o Programa Bolsa Família (PBF). Foi criado a partir da fusão de quatro programas existentes: Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Cartão Alimentação e Auxílio-Gás. Seu objetivo era “melhorar a eficiência e a coerência da rede de segurança social e ampliar a assistência para fornecer cobertura universal aos pobres do Brasil”.

Os principais objetivos do PBF foram:

  • Reduzir a pobreza e a desigualdade, fornecendo um nível mínimo de renda para famílias extremamente pobres.
  • Quebrar o ciclo da pobreza, tornando as transferências de renda condicionais. O elemento condicional é que as famílias recebam o dinheiro somente se aderirem às principais responsabilidades, como levar seus filhos ao médico sempre que necessário e garantir que frequentem a escola. Destina-se a quebrar o ciclo da pobreza, obrigando os beneficiários a investir em capital humano (na educação de seus filhos, por exemplo).
  • Capacite os beneficiários do PBF vinculando-os a serviços complementares.

O impacto público

Estima-se que “o nível de pobreza extrema seria entre 33% e 50% maior sem o PBF. O programa também contribuiu para reduzir a desigualdade de renda, respondendo por 12% a 21% do recente declínio acentuado ”.[

O programa foi responsável por aproximadamente 28% da redução total da pobreza no Brasil e, de 2002 a 2012, o número de brasileiros vivendo com menos de 70 reais por semana caiu de 8,8% para 3,6%. “De acordo com um estudo recente da ONU, [o número de pessoas que sofrem de fome] diminuiu de 22,8 milhões de pessoas em 1992 para 13,6 milhões em 2012.”O PBF conseguiu alcançar 11,1 milhões de famílias (mais de 46 milhões de pessoas). ), o que torna o maior programa desse tipo no mundo.

O governo federal era o principal stakeholder interno. Três agências governamentais – a Controladoria Geral, o Tribunal Federal de Auditoria e o Ministério Público – são responsáveis ​​pela supervisão e controle formal do PBF. As administrações locais são responsáveis ​​pela coleta de dados e pelo registro de famílias elegíveis.

O Banco Mundial era o principal stakeholder externo, fornecendo o suporte técnico para projetar os parâmetros do programa. “A opção de unificar os CCTs do Brasil já havia sido discutida há algum tempo nos círculos políticos e acadêmicos brasileiros, bem como em intercâmbios com o Banco Mundial e outros doadores.”

Compromisso político forte

O presidente estava comprometido tanto com o princípio dos programas de TCR como meio de reduzir a pobreza, a fome e a desigualdade, como para consolidar os programas existentes. “A questão da combinação dos programas de transferência de renda do governo federal era parte da plataforma eleitoral do Presidente Lula da Silva.”  Ele esteve envolvido nas discussões iniciais com o Banco Mundial sobre a viabilidade dos programas de CCT e fez do PBF uma das políticas de maior prioridade. do seu governo.

Confiança Pública Bom

Em janeiro de 2003, o índice de aprovação de Lula era de 83% de todos os brasileiros (ele havia sido eleito no ano anterior). No entanto, isso caiu para 60% em abril de 2005, com 29% dando ao presidente uma classificação negativa. No entanto, em geral, ele foi considerado positivo e foi reeleito em 2006. “Os analistas dizem que é por causa de alguns programas sociais de seu governo – que beneficiam dezenas de milhões de brasileiros – que Lula tem mantido enorme popularidade entre o eleitorado. Aumentando o salário mínimo bem acima da inflação e ampliando a ajuda do Estado aos mais pobres com um programa de subsídio familiar, o Bolsa Família, ele ajudou cerca de 44 milhões de pessoas e cimentou seu apoio entre os pobres. ” [

Política

Objetivos claros Bom

Os objetivos gerais do PBF eram reduzir os níveis de pobreza, desigualdade e fome no Brasil. O objetivo mais específico era conseguir isso por meio de um programa único de CCT, consolidando quatro programas que estavam em operação em 2003. Os objetivos foram mantidos consistentemente desde o lançamento do PBF e seu impacto é mensurável por meio de indicadores como o número de famílias. registrado e o número de brasileiros vivendo abaixo de uma linha de pobreza acordada.

Evidência Forte

O PBF foi baseado em quatro programas semelhantes de CCT no Brasil, que reuniu em um único programa: O PBF “baseia-se nas fundações de programas anteriores e aumenta seu impacto por meio de arranjos institucionais, focalização, monitoramento e avaliação fortalecidos”.  Além disso, o governo brasileiro implementou o piloto do Programa de Cartão Alimentação (PCA) antes de lançar a iniciativa do PBF. O PCA foi “administrado pelo (antigo) Ministério da Segurança Alimentar e forneceu um pagamento mensal de benefício de BRL50 a famílias pobres com renda per capita mensal inferior a meio salário mínimo”. O PCA procurou promover o consumo de alimentos e os destinatários deveriam 
usar a transferência para a compra de alimentos.

O princípio de um único chefe de programa de CCT já foi estabelecido no México desde 1997 no renomado programa Oportunidades. “Oportunidades se concentra em ajudar as famílias pobres das comunidades rurais e urbanas a investir em capital humano – melhorando a educação, a saúde ea nutrição de seus filhos – levando à melhoria de longo prazo de seu futuro econômico e à conseqüente redução da pobreza no México. Ao fornecer transferências de renda para as famílias (ligadas à freqüência escolar regular e às visitas à clínica de saúde), o programa também cumpre o objetivo de aliviar a pobreza atual. ” 

Feira de Viabilidade 

Um dos objetivos da consolidação de quatro CCTs em um único programa foi melhorar a eficiência reduzindo os custos administrativos, fortalecendo a viabilidade financeira. “Os custos administrativos federais caíram de 5,3% do total dos gastos do programa pré-reforma em 2002 para 2,6% do PBF em 2005.” 

A viabilidade operacional já havia sido estabelecida pelos programas de CCT existentes e pelo Oportunidades do México.

Açao

Boa gestão

A Secretaria do Bolsa Família supervisiona o PBF e o cadastro unificado de família (Cadastro Único) e é responsável por selecionar os beneficiários, autorizar pagamentos, fazer cumprir a condicionalidade (por exemplo, matrícula escolar), monitorar o PBF e treinar gerentes municipais.

O governo federal introduziu mecanismos de gestão inovadores e baseados no desempenho para monitorar e gerenciar o PBF. Por exemplo, um mecanismo promoveu incentivos para implementação de qualidade “de modo a superar o dilema ‘principal-agente’”. As reformas institucionais melhoraram a gestão do banco de dados do Cadastro Único, enquanto “a precisão do programa foi alcançada através de mecanismos geográficos e testes de meios no âmbito do Cadastro Único, com 73% das transferências do PBF o quintil mais pobre e 94% dos dois quintis mais pobres. ” [

Medição Forte

Vários indicadores foram utilizados para medir o impacto do PBF, tais como:

  • Os tipos de beneficiários.
  • Níveis de renda familiar e individual e pobreza.
  • Educação de matrícula de crianças e medidas de realização educacional.
  • Indicadores de saúde, como taxas de vacina e altura e peso em relação à idade).

Ferramentas e agências de monitoramento eficazes foram dedicadas a melhorar o desempenho do PBF. “Além do monitoramento contínuo de insumos, produtos, resultados e processos, o Ministério do Desenvolvimento Social e Erradicação da Fome (MDS) é responsável por realizar ou contratar avaliações de impacto do PBF. A partir do momento em que o Ministério foi criado, estabeleceu uma secretaria especial dedicada a informações e avaliações. ” [

4. A ferramenta de monitoramento da IGD abrange apenas certos aspectos da implementação do PBF (registro, informações de monitoramento de condicionalidade) e é baseada em dados administrativos, em vez de avaliações de campo reais de qualidade. São necessárias ferramentas adicionais para funções de supervisão e feedback de políticas sobre a qualidade da implementação descentralizada.

Alinhamento Forte

Todos os atores, incluindo o governo federal, estadual e municipal, a agência de monitoramento, outras agências, como a Controladoria Geral e o Ministério Público, desempenharam efetivamente suas funções e compartilharam um interesse comum em fazer o PBF funcionar.

“Tal coordenação distingue o Bolsa Família de seus predecessores setoriais. Os principais atores da arena federal são a secretaria nacional do programa Bolsa (que está diretamente ligada ao cargo de presidente), o novo [MDS], os ministérios setoriais e a Caixa Econômica Federal, na sua qualidade de como a entidade que opera o Cadastro Único e responsável pelo pagamento. ”

O governo federal também colaborou bem com o Banco Mundial e especialistas acadêmicos em sua análise e projeto do PBF.

O que é o direito do trabalho nos Estados Unidos?

O direito do trabalho rege os direitos e deveres entre empregadores e trabalhadores. Também conhecida como lei trabalhista, essas regras são projetadas principalmente para manter os trabalhadores seguros e garantir que eles sejam tratados de forma justa, embora as leis também estejam em vigor para proteger os interesses dos empregadores. As leis trabalhistas são baseadas em constituições federais e estaduais, leis, normas administrativas e opiniões judiciais. Uma relação de trabalho específica também pode ser regida por contrato. 

As leis trabalhistas americanas remontam ao clamor público contra as práticas opressivas da revolução industrial. No início do século 20, as primeiras leis foram aprovadas para compensar trabalhadores feridos, estabelecer um salário mínimo, criar uma semana padrão de trabalho e proibir o trabalho infantil. Nos anos 60 e 70, o Congresso agiu para proibir a discriminação e as condições inseguras de trabalho. As questões atuais envolvem assistência médica e pagamento igual para homens e mulheres. 

Muitas das disputas trabalhistas que resultam em litígios lidam com violações de “salário e hora”. A lei federal estabelece regras básicas com relação a essas questões, e então os estados estão livres para aprovar leis que forneçam proteções adicionais. Por exemplo, a lei federal exige um salário mínimo de US $ 7,25 por hora. Vários estados aprovaram um salário mínimo mais alto e os empregadores nesses estados devem cumprir. 

As leis de salário e hora também regulam o pagamento de horas extras. O governo federal não limita o número de horas que os adultos podem trabalhar por semana, mas depois de 40 horas o tempo e meio deve ser pago. Existem regras para controlar as horas e condições de trabalho para os trabalhadores menores de 18 anos, com disposições especiais para aqueles que trabalham no setor agrícola. Além do que, além do mais, 

Discriminação no local de trabalho é outra base para muitos casos de direito do trabalho. A Lei dos Direitos Civis de 1964 e a legislação subsequente tornam ilegal o tratamento diferenciado de trabalhadores com base em etnia, crenças religiosas, gênero, idade ou deficiência. Recomenda-se contratar um advogado para perseguir uma reivindicação de discriminação, pois procedimentos detalhados devem ser seguidos, como a obtenção de uma carta do Right-To-Sue da EEOC (Equal Employment Opportunity Commission). 

A Presunção “At Will”

Em quase todos os estados, a lei presume que as relações de emprego estão à vontade. Ou seja, os empregadores e empregados são livres para encerrar o relacionamento a qualquer momento e por qualquer motivo. Essa presunção pode ser superada mostrando as partes envolvidas em um contrato de trabalho ou fazendo outras promessas sobre quando e como o relacionamento terminaria. Os tribunais também ignoram a presunção quando uma das várias exceções se aplica. 

As exceções mais comuns envolvem questões de política pública. Por exemplo, os empregadores não podem demitir trabalhadores por motivos discriminatórios. Da mesma forma, eles não podem demitir um funcionário em retaliação por registrar uma reivindicação de indenização do trabalhador, ou por divulgar uma violação da lei às autoridades (denúncias). Uma minoria de estados também proíbe os empregadores de demitirem funcionários de má-fé, como demitir um trabalhador para evitar o pagamento de um bônus ou outro benefício

Como mencionado, empregadores e trabalhadores podem entrar em contratos de trabalho. Tais contratos podem descrever a duração do emprego, remuneração, procedimentos disciplinares, razões para a rescisão, e assim por diante. Enquanto o contrato for legal, ele será aplicado em lugar da doutrina da vontade. Além disso, os termos do contrato podem ser criados por implicação, com base em garantias verbais e outras condutas, mesmo na ausência de um documento escrito. 

Nos casos que envolvem um contrato de trabalho, os tribunais são frequentemente chamados a interpretar o significado de cláusulas específicas. Promessas de não competir são um exemplo. Essas cláusulas evitam que ex-funcionários se envolvam no mesmo comércio no mesmo mercado ou área geográfica. Restrições contra divulgação de segredos comerciais são outro exemplo. Advogados de emprego rotineiramente litigam esses tipos de problemas. 

Diversos outros assuntos relacionados ao local de trabalho podem surgir em casos de direito do trabalho. Isso levou os advogados que restringem suas práticas à legislação trabalhista a se especializarem ainda mais em áreas como reivindicações de seguro desemprego, compensação do trabalhador, assédio sexual e questões de conformidade que envolvem a Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA). Para os envolvidos em uma disputa trabalhista, encontrar um advogado com o treinamento certo pode fazer toda a diferença. 

Aprenda sobre as leis do direito ao trabalho nos Estados Unidos

Nos EUA, as leis estaduais de direito ao trabalho pertencem a sindicatos e trabalhadores de uma empresa. Especificamente, o direito ao trabalho significa que os funcionários têm o direito de trabalhar em locais de trabalho sindicalizados sem realmente ingressar no sindicato ou pagar taxas sindicais regulares. Eles também podem cancelar sua filiação a qualquer momento, sem perder o emprego. Mas eles ainda têm direito a uma representação sindical justa e igual se fizerem parte de uma “unidade de barganha” na empresa – ou seja, um grupo de funcionários que têm tarefas semelhantes, compartilham um local de trabalho e presumivelmente têm interesses semelhantes quando salários, horas e condições de trabalho.

Em outras palavras, as leis de direito ao trabalho exigem essencialmente que os locais de trabalho sindicalizados se tornem “lojas abertas”, em que a filiação sindical é opcional, em contraste com a “loja fechada” tradicional, na qual a filiação sindical é obrigatória. Enquanto as taxas regulares não são retiradas de seus contracheques, os funcionários do direito ao trabalho (não-sindicalizados) ainda são cobertos pelo sindicato; no entanto, eles podem ter que pagar pelo custo do sindicato representando-os de maneiras específicas, como buscar queixas em seu nome.

Embora pareça semelhante, o princípio do direito ao trabalho não é o mesmo que emprego à vontade , o que significa que um funcionário pode ser demitido a qualquer momento sem qualquer razão, explicação ou aviso; nem é garantia de trabalho ou decisão de que um funcionário tenha direito a trabalhar.

Seguro Desemprego

História e controvérsia do direito ao trabalho


Atualmente, não existe nenhuma lei federal sobre direito de trabalho. Um projeto de lei que estabelece um, o National Right-to-Work Act, foi introduzido na Câmara dos Representantes em 1º de fevereiro de 2017 por dois congressistas republicanos, Steve King, de Iowa, e Joe Wilson, da Carolina do Sul; revogaria as provisões em todas as outras leis trabalhistas federais que permitissem que os locais de trabalho sindicalizados demitissem funcionários por não pagarem as dívidas do sindicato. Abono salarial.

Em vez disso, existem leis de direito de trabalho no nível do estado individual. A Lei de Relações de Gestão Trabalhista de 1947, apelidada de Lei Taft-Hartley, permitia aos estados aprovar leis de direito de trabalho. A Taft-Hartley não permitiu que jurisdições locais (por exemplo, cidades e condados) dentro de um estado promulgassem sua própria legislação de direito ao trabalho.

No entanto, em 2016, o Tribunal de Apelações do Sexto Circuito confirmou o direito dos governos locais de promulgar leis locais de direito de trabalho em Kentucky, Ohio, e os outros estados de sua jurisdição.

Como o número de estados que aprovam leis de direito de trabalho cresceu no século 21, a questão tem se tornado cada vez mais controversa. Os proponentes do direito ao trabalho argumentam que ele expande os direitos dos trabalhadores – especificamente, o direito de decidir se unir a um sindicato – e mantém os sindicatos responsáveis, porque eles devem provar as vantagens da associação.

Os opositores argumentam que o direito ao trabalho incentiva o freeloading – porque um trabalhador pode desfrutar de representação sindical sem pagar dívidas – e é essencialmente uma forma indireta de minar os sindicatos em um local de trabalho, privando-os de receita, número de associados e, finalmente, seu poder de barganha. com a gerência. Defensores dizem que o direito ao trabalho preserva as liberdades individuais; críticos chamam de “o direito de trabalhar – por menos”.

Estados do direito de trabalhar Previdencia Social
A partir de 2018, 27 estados adotaram leis de direito de trabalho. Eles são:

Alabama
Arizona
Arkansas
Flórida
Geórgia
Idaho
Indiana
Iowa
Kansas
Kentucky
Louisiana
Michigan
Mississippi
Nebraska
Nevada
Carolina do Norte
Dakota do Norte
Oklahoma
Carolina do Sul
Dakota do Sul
Tennessee
Texas
Utah
Virgínia

West Virginia
Wisconsin
Wyoming
Outros estados têm legislação semelhante em seus livros. Por exemplo, as leis trabalhistas de New Hampshire têm uma disposição que proíbe qualquer pessoa de forçar outra a aderir a um sindicato como condição de emprego.

Decisões e Direitos Adicionais
A Suprema Corte dos EUA determinou que os acordos de negociação coletiva não podem exigir que os trabalhadores ingressem em sindicatos. Acordos de negociação coletiva só podem exigir que os não-membros paguem a proporção comprovada de quotas que os sindicatos gastam para representá-los. Não-membros não têm que pagar tais custos até que sejam explicados e possam primeiro desafiá-los.

Para saber mais sobre a lei do direito de trabalhar do seu estado ou uma disposição similar, ou seus direitos semelhantes no nível federal, comece contatando o escritório de trabalho do seu estado. Se você acha que seu empregador ou sindicato violou uma lei de direito ao trabalho, a Fundação Nacional de Defesa Legal do Direito ao Trabalho pode aconselhá-lo ou representá-lo gratuitamente.

Caso contrário, você pode considerar consultar um advogado particular.

Nota: As informações deste artigo geralmente se aplicam a funcionários do setor privado. Diferentes leis e decisões judiciais podem ser aplicadas a funcionários do governo, educação, ferrovias, companhias aéreas e outros.

O direito ao trabalho oferece apenas informações gerais e não se destina a aconselhamento jurídico. Nem o autor nem o editor estão envolvidos na prestação de serviços jurídicos. Por favor, consulte um advogado para aconselhamento jurídico. Como as leis variam por estado e estão sujeitas a alterações nos níveis estadual e federal, nem o autor nem o editor garantem a precisão deste artigo. Se você agir com base nessas informações, você o faz por sua conta e risco. Nem o autor nem o editor terão qualquer responsabilidade decorrente da sua decisão de agir com base nessas informações.

O jeito certo de consultar a Tabela FIPE

Quando se trata de negociar um carro usado, o possuidor é totalmente livre para preferir o preço que será tomado no momento da demanda. Ele também tem umas opções que podem arrasar a venda, como prenúncios em sites especializados ou até com certeza colocar o carro em uma concessionária para que o espécie possa ganhar uma jeito de “mostruário”.

Utilizando a Tabela Fipe, é possível saber quanto um determinado carro está valendo, pois ela mostra os valores de diversos tipos de veículso vendidos no Brasil, e com isso, torna-se uma ferramenta indispensável para auxiliar quem está comprando ou vendendo um carros, seja ele novo ou usado.

Afinal, o que é a Tabela FIPE?

A Tabela FIPE tem esse nome pois é ligada diretamente ao orgao que a criou, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE.

Originalmente, a tabela Fipe veículos foi criada em 1973 e tinha uma função específica: auxiliar a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São 

Podemos afirmar que a Tabela FIPE Veículos é a maior referência quando o assunto é valores de carros, caminhões, SUVs e motos usadas, nacionais ou importados.

Através deste mecanismo, é possível acessar diversos preços de veículos, sendo carros, motos, caminhões e ônibus.

Também vale salientar que a Tabela Fipe não leva em consideração os opcionais do veículo, com isso, o seu carro poderá possuir qualquer tipo de rodas diferentes, som alternativo, etc. Que não estarão na cobertura da indenização integral, somente se você fizer uma contratação de cláusula opcional  de acessórios.